quarta-feira, 12 de junho de 2013

Um presente de Dia dos Namorados

Eu tenho a sorte de um amor tranquilo,
Com sabor de fruta mordida....
Como eu sempre quis.
Meu amor com sabor de fruta mordida, amor morno de vermelho bordô, com a calma que a paixão consolidada e saciada tem, o sexo em sua forma completa, que gera outro ser.
Ser teu pão, ser tua comida,
Sem anular todo amor que houver na minha e na sua vida,
o pão e a comida que alimentam e sustentam a liberdade que criamos todos os dias um com o outro, destruindo as travas e entraves de nosso super ego de oprimidos.
E por acharmos nossa fonte escondida, nos alcançamos em cheio, mel, e ferida, do corpo e da alma, e limpamos e curamos nossas dores com gemidos de prazer, a sedução que liberta, a liberdade conquistada, a liberdade do outro que faz crescer a minha.
Embora os trocados para dar garantia sempre nos fujam, e isso nos corroa às vezes, nada como um bom veneno antimonotonia para aliviar o peso dos dias e das coisas que ainda não conseguimos transformar.

Meu amor com sabor de fruta mordida,
Meu melhor amigo,
Esse é meu presente para ti hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário