quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Obrigado a Deus por MIM, pela MINHA graça alcançada

Pois é, para quem não sabe o que aconteceu: sofremos um śerio acidente de carro, o carro morreu na estrada, em plena rodovia dos Bandeirantes, cuja velocidade máxima é de 120km/h.Claro que bateram. Mortes? Não. Feridos? Sim, eu, mas nada de grave, nada que umas 2 ou 3 semanas de repouso para a perna e o braço não curem, talvez uns dias de fisioterapia, e só.

E aí o povo vem com aquela coisa "agradeça a Deus", "Deus lhe ama muito", "mesmo sendo atéia eu ascenderia uma vela de agradecimento", "é um milagre vcs estarem aqui"...

Eu acho isso tudo muito curioso. Quase ninguém que eu conheço usa cinto de segurança devidamente e em todos os bancos, todo mundo xingou a lei da cadeirinha dos bebês nos carros, boa parte dos motoristas só volta pro limite de velocidade no pé do radar, boa parte(e isso vale para mim!) adia as trocas de manutenção preventiva das partes do carro, uma parte leva em mecânicos suspeitos(o que aconteceu com o meu carro) para pagar menos ou simplesmente porque é o mecânico que está ali perto, boa parte das mulheres nem se interessa por entender o próprio carro que usa, quase todos os homens que entendem não explicam às poucas que querem entender, os carros de antigamente eram feitos para proteger a lataria e não os passageiros(e o meu amassou todinho, inclusive a porta onde estava o Pi, mas segurou tudo e nos protegeu muito bem)...

E aí as pessoas terceirizam(prática comum para tudo nesses tempos em que vivemos) as causas de tudo o que acontece para um nome, com letra maiúscula, masculino e singular, a quem devemos agradecer tudo e nos ajoelhar o tempo todo...

Se estamos vivos, não é porque estávamos de cinto e o Pi na cadeirinha, é porque Deus quis. O carro morreu porque Deus quis que passássemos por isso. Ir tirar satisfação com o mecânico que trocou a bateria? Assumir minha parcela de culpa? Falar a todos que usem cinto? Balela, foda-se se o mecânico vai colocar bateria ruim em outros carros e arriscar outras vidas, foda-se que as pessoas continuem sem usar cinto e cadeirinha, foda-se que as pessoas continuem negligentes.

O que importa é a MINHA graça alcançada.

Será?

Nenhum comentário:

Postar um comentário