sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Em 2010...

Em 2010,
Me casei e a cerimônia foi uma das noites mais chatas da minha vida.
Em 2010,
Levei uma vida de casada e foi a vida mais livre e mais deliciosa até agora.
Em 2010,
Pari e foi uma alucinação, um desafio, uma graça alcançada na minha trajetória de voltar à Deusa Terra.
Em 2010,
Me apaixonei a primeira vista perdidamente pelo homenzinho mais lindo do mundo.
Em 2010,
Enfim....Vaca!! E profanérrimaaaaaaaaaa....
Em 2010,
Voltei a ter um lado espiritual, dessa vez mais orgânico, menos moralista e mais natureba.
Em 2010,
Tive ao meu lado as pessoas mais lindas desse mundo, que em tudo me ajudaram e fizeram dessa história de amor coletivo uma coisa tão concreta que me enche de felicidade.
Em 2010,
Mergulhei mais fundo em mim mesma do que poderia imaginar mergulhar.
Em 2010,
Eu comecei a permitir dentro de mim mesma que o sexo seja um ritual de apaixonamento.
Em 2010,
Eu tive os melhores e maiores orgasmos da minha vida.
Em 2010,
Meu corpo virou uma fruta madura, doce e vistosa, como uma manga que se chupa e se lambuza cheia de fiapos...
Em 2010,
Eu comecei a sair do armário.
Em 2010,
Eu desabrochei.
Em 2010,
Eu não concluí uma única matéria, mas aprendi mais que em qualquer escola.
Em 2010,
Eu renasci mais forte, mas não das cinzas, e sim da terra que existe dentro de mim.

Que felicidade mais simples eu experimentei em 2010,
uma felicidade longe dos consumos que nossa vida capitalista tanto exalta,
uma felicidade longe de cultivar a posse do outro que nossa vida monogâmica tanto quer,
uma felicidade longe das capas de revista feminina que nosso machismo tanto sonha,
uma felicidade muito mais próxima da entrega absoluta que nosso mundo de jogo e vencedor tanto despreza,
uma felicidade de corpo sadio muito mais sólida que euforias tóxicas indigestas,
uma felicidade de verdade, muito mais profunda que qualquer outra alegria passageira.

Um comentário:

  1. LA LECHE MATERNA


    Bendito louvado seja

    O pó
    Do chão a lama o útero

    E até as pedras
    A faca
    E o cacto do chão

    Por que não



    Bendito louvado seja
    O galho cheio de fruta madura




    Bendita louvada seja
    A vaca
    Profanérrimaaaaaaaaaa...

    ResponderExcluir