quarta-feira, 28 de julho de 2010

Os obedientes

Imagine que absurdo: sou pega pela policia em minha casa para dar um depoimento.
Levam-me num carro preto para uma delegacia.
Nesta, sou colocada entre três policiais me mostrando armas...quando me nego a dizer algo, levo uma paulada dolorida de cacetete...
Eu sem defesas, levando paulada...
Revoltante a tortura, não?

Imagine que outro absurdo: um homem manda na sua mulher.
Um belo dia, ela resolve dizer não.
Ele a enche de pancadas...
Na nossa sociedade, em que temos o corpo sempre tolhido ao invés de aprendermos a nos defender, estamos sem defesa, levando paulada...
Revoltante a violência doméstica, né?

Agora imagine a seguinte situação: um casal tem um filho pequeno, uma criança de 2 anos, que está aprendendo ainda o que é viver em sociedade.
Um belo dia, o casal está passeando com sua criança e, na hora de ir embora,ela faz um escândalo porque não quer ir.
Então, os pais a agridem na frente de todo mundo.
E agora não é revoltante?????

Vem da mesma lógica da violência doméstica, da tortura, a idéia de que educação é bater.
Isso é oprimir de maneira absoluta a criança. Crianças estão aprendendo sobre o mundo, e eu não acredito de maneira nenhuma que o modelo erro/castigo, acerto/premiação esteja produzindo bons resultados...vide o mundo de hoje!!
Se bater for ensinar, ela vai aprender que não pode fazer x porque terá um castigo...E a partir do momento em que não tiver ninguém olhando, e portanto ninguém para aplicar o castigo, tá tudo liberado!Isso é o que o Piaget chama de moral heterônoma...

Mas para mim, há uma questão que vai além da educação(embora eu ache que esse argumento por si só já baste)...
Crianças não tem possibilidade de defesa de um adulto. Não tem como, até pelo menos uns 10 anos de idade. É uma questão corpórea bem óbvia, não acham?
Enquanto vc já tem coordenação motora, músculos, tamanho, noção espacial, tudo bem desenvolvido, a criança ainda não tem nada disso. Ela é mais fraca, fisicamente mesmo.
Além disso, ela não tem como saber o que é certo e errado, ainda está aprendendo essas coisas. Formá-la para entender que o certo é o que não leva soco cria uma criança obediente, um adulto obediente. Não cria uma criança que aprende a refletir, não cria senso de escolha; o resultado está aí: as pessoas simplesmente obedecem, não repensam o mundo, e ficamos aí nesta lógica fascistóide, que já é absurda por si só.

A lei que proíbe qualquer violência física contra crianças é interessante até, ainda que fique como letra morta para a maior parte da população, como qualquer lei no Brasil...Pelo menos joga o assunto na roda, faz as pessoas pensarem...

Esse post veio na minha cabeça depois de um post do blog do Sakamoto, sobre esta lei, dá uma olhada aí do lado.

Um comentário:

  1. A violencia é muito adequado a esta cultura do medo.
    Bom mesmo é saber que existem exceções, que estamos cansando disso.


    Abraços e sim, gostei bastante.

    ResponderExcluir