segunda-feira, 14 de junho de 2010

Eu sou uma mulher

Eu Sou uma Mulher
Eu sou uma mulher que sempre achou bonito menstruar.
Os homens vertem sangue por doença, sangria ou por punhal cravado, rubra urgência a estancar, trancar no escuro emaranhado das artérias.
Em nós o sangue aflora como fonte, no côncavo do corpo. Olho-d'água escarlate, encharcado cetim que escorre em fio.
Nosso sangue se dá de mão beijada, se entrega ao tempo como chuva ou vento.
O sangue masculino tinge as armas e o mar empapa o chão dos campos de batalha, respinga nas bandeiras, mancha a história.
O nosso vai colhido em brancos panos, escorre sobre as coxas, benze o leito manso, sangrar sem grito que anuncia a ciranda da fêmea.
Eu sou uma mulher que sempre achou bonito menstruar.
Pois há um sangue que corre para a Morte.
E o nosso que se entrega para a Lua.

(não sei de quem é esse texto não...)

2 comentários:

  1. E no sangue que flui do útero de nossa feminilidade, manchamos de vermelho a vida...para que ela fique mais viva...

    Belo texto!

    ResponderExcluir