quarta-feira, 12 de maio de 2010

Místico

Me abri.
Simples assim.
Ontem uma nova dimensão se abriu...
E de repente meus medos, tudo aquilo que me estava fechando, que me fez chorar tanto nesses dias, sumiu. Sumiu e me abri de novo, como tinha acontecido antes de eu engravidar, quando enlouqueci e não vi mais as manchas, as máculas...
Entendi de alguma forma mística o mundo, o sexo, o feminino, a vida...Isso de ser germinada, de se abrir para dar a luz a uma nova vida, de alimentar outro ser, requer entrega, loucura, escuridão, mistério...
Eu de repente quero me entregar a isso, fixar-me na nudez, na escuridão, na dor e no prazer alucinantes, no mistério.
É como se todas as coisas se unissem, as dimensões todas se cruzassem em uma reta só e tudo precisasse ser novo e ressignificado..
Acho que foi tudo um produto de uma reflexão longa e nova acerca de ser mulher, de descobrir um novo horizonte em meu ser, e reconstruir a liberdade sob essa condição...
E agora eu estou pronta para me jogar outra vez...

"Não tem calma o forte sim da tua presença
Fecundando minha mente e o fundo desse poço
Onde me jogo simplesmente por esporte boêmio
Mas é tão sério e maluco tá por um fio de tensão"

O poço fecundo eu vejo no fundo dos seus olhos quase pretos, onde me joguei de mãos dadas com você há um ano e ainda não terminei de cair...

Nenhum comentário:

Postar um comentário