terça-feira, 11 de maio de 2010

Enlouqueci

Estava em meu quarto, sozinha, só de calcinha, deitada na cama de barriga para cima, olhando pro teto.
De repente sinto meu sexo muito quente, muito, me sinto úmida e tenho uma vontade louca de tirar a calcinha e me tocar. Toco em meu clitóris e entro, quase instantaneamente, num orgasmo louco e forte, sinto minha barriga contrair e doer alucinadamente e fecho os olhos, enquanto sinto-me inteiramente e deliciosamente aberta, pernas, colo, vagina, senti-me parindo e gozando muito...
Despertei, molhadíssima e ofegante, desse sonho, exatamente na posição que estava no sonho quando ele começou, e não saí dele, nem com o pesadelo que tive quando voltei a dormir.
Depois de ler um pouco, saí do quarto para comer, conversei com o Seu Tião, mas sempre com aquilo na cabeça...
Contei para o Capi, que estava no trabalho, meu sonho, e fui buscá-lo. Não tive nenhuma vontade de me vestir inteira, se estivesse calor com certeza iria nua, então coloquei uma calça de moleton e um casaco, sem blusa, sutiã, nada por baixo.
Havia uma mística toda, algo inexplicável, na minha sensação. Fui pensando no sonho e quando ele entrou no carro, o beijei de uma maneira forte, louca, com algo de primeira vez, abri o casaco e mostrei minha nudez, e ele tocou meus seios, os chupou, e fomos para casa...
Havia algo de muito muito diferente naquilo tudo, eu fui perdendo as palavras...
Entramos em casa e fomos nos beijando de maneira tão alucinada, que me lembrava todo o tempo a nossa primeira vez...entramos e arrancamos a roupa, os óculos, ascendemos o abajour e eu subi em cima dele, numa sensação inebriada, muito forte, que me trazia a memória flashs daquela primeira noite em que tudo começou...Eu comecei a sentir que estava perto do orgasmo quando senti minha barriga muito dura, dolorida, e senti um êxtase tão grande, e aquilo foi tomando conta de mim, a dor e essa sensação maluca, e eu queria apertar, expandir, abrir, queria tudo, e via cores difusas, via aquele corpo de homem enquanto apertava, arranhava e mordia aquela pele morena...E minhas mãos se esticavam para cima como quem busca algo nos céus, a dor aumentava e o êxtase também, e eu gemia e gritava, até que me joguei na cama e deixei-me aberta, senti penetrar-me de uma maneira louca...e fui sentindo um prazer alucinante, e mais umas contrações, que doíam e me deixavam maluca, de repente eu queria sentir-me parindo, e fazia uma força na barriga, sentia-o descendo e queria-o todo aqui, e ficamos assim um tempo, até que ele se jogou na cama e ficamos os dois abraçados, e ele me falava um monte de coisas bonitas que eu não conseguia entender direito, e eu ainda sentia minha barriga contrair, e meu corpo contraía junto, e eu gritava e empurrava a parede, e de repente senti minhas pernas tremendo, tremendo, tremendo, e um êxtase, e minha barriga contraía e doía...fiquei um tempo completamente maluca, olhando o quarto, os tijolinhos, a cortina, e eu me tocava e estava ainda molhada, inchada...
Eu enlouqueci hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário