quarta-feira, 8 de abril de 2009

Nem putinha, nem boa moça

Sexo...quantas definições não dão a ele, as mil e uma interpretações e mistificações que lhe envolvem....

Como podem tê-lo aprisionado, demonizado, mal tratado? Existe antes de tudo uma necessidade de todos nós fisiológica, nosso corpo precisa de sexo, nossas veias, nosso humor, nossa pele, nossa alma...
Eu e minha eterna curiosidade, que me acompanha desde criança, essa curiosidade acovardada e escondida pelo machismo fantasmagórico, curiosidade silenciosa que me fez conhecer tão cedo o sexo...E acho um roubo terem me expropriado a relação mais próxima entre seres humanos, acho um absurdo, eu acreditei até os 10 anos que as crianças vinham do nada, embora já conhecesse muito bem o meu corpo, quando já tinha me perguntado porque tinha que sentar de pernas fechadas e porque tinha que ser magra, e tinha ido buscar a mim mesma, sem saber e sem ter idéia de como era esse tal de sexo, mas já sabendo da carga que tinha sobre minhas costas se alguém soubesse o que se passava na minha cabeça e nas minhas mãos, o machismo me oprimindo muito antes que eu descobrisse o que é o sexo...Esse sexo que tanto falavam na TV, sem explicar, sem falar....Falar sem falar, que coisa maluca, mas é isso que fazem quando dizem "use camisinha" e não discutem comigo nem se eu quero mesmo fazer sexo com um homem! Bah!
E essa hipocrisia, essa contradição, essa demagogia de educar-me para ser uma boa moça, uma pobre coitada a lavar louça, cuidar das crianças, e trabalhar para "ajudar" em casa, correndo por fora com uma indústria nojenta que usa e vende o sexo, quye estimula a mentira e a expropriação da minha sexualidade, que joga tudo para debaixo do tapete? É o motel que me dá uma nota fiscal com nome de loja, são as escondidas seções de filmes pornôs nas locadoras, a revista playboy lacrada, as senhas de internet nos sites, e até formas mais sutis dessa indústria, como os mil cosméticos, cirurgias plásticas, ceras depilatórias, silicones, que transformam o meu próprio corpo, veículo sagrado de existência nesse mundo, numa mercadoria ambulante, numa putinha disfarçada de boa moça....A merda tudo isso! Hipocrisia esconder minha nudez sob as nossas roupas sem decotes, esconder meu desejo pulsante, minha necessidade poligâmica e insaciável!!!
Nem putinha nem boa moça, eu sou gente, pessoa, ser humano, mulher!
Nem hetero, nem bi, nem homo...eu não posso ter tesão nas pessoas pela própria sensualidade que exalam, ao serem elas mesmas, ao olharem nos meus olhos, ao exalarem seus feromônios pelo ar? Tenho que me prender a uma merda de estética dada, tenho realmente que não desejar uma barriga, uma celulite, uma cor, um homem ou uma mulher? Não posso ser sensual sem ser uma merda de padrão?
Que venham os verdadeiros a tomar-me, conquistar-me, devorar-me, que venham saciar essa vontade de mundo, que venham mostrar para mim e para o mundo que eu não sou bela por ser a nova capa da playboy, que eu posso ser bela simplesmente por me posicionar perante a vida e ao sexo, e que eu posso ser bela amando belas pessoas, muitas delas, sem monogamia e sem propriedade....

Não ao latifúndio, viva a invasão!

Sexo

Ultraje a Rigor

Composição: Indisponível

Sexo!
Sexo!
Como é que eu fico sem Sexo?
Eu quero Sexo! Me dá Sexo!

Hoje vai passar um filme na TV
Que eu já vi no cinema
Êpa! Mutilaram o filme
Cortaram uma cena...

E só porque
Aparecia uma coisa
Que todo mundo conhece
Se não conhece
Ainda vai conhecer
E não tem nada de mais
Se a gente nasceu
Com uma vontade
Que nunca se satisfaz
Verdadeiro perigo
Na mente dos boçais...

Corri pr'o quarto
Acendi a luz
Olhei no espelho
O meu tava lá
Ainda bem
Que eu não tô na TV
Senão ia ter que cortar...

Ui!
Sexo!
Como é que eu fico sem Sexo?
Eu quero Sexo! Me dá Sexo!
Sexo!
Como é que eu fico sem Sexo?
Eu quero Sexo! Vem cá Sexo!

Bom! Vá lá, vai ver
Que é pelas crianças
Mas quem essa besta pensa
Que é prá decidir?
Depois aprende por aí
Que nem eu aprendi...

Tão distorcido
Que é uma sorte eu não
Ser pervertido
Voltei prá sala
Vou ver o jornal
Quem sabe me deixam
Ver a situação geral
E é eleição, é inflação
Corrupção e como tem ladrão
E assassino e terrorista
E a guerra espacial
Socorro!...

Eu quero Sexo! Me dá Sexo!
Como é que eu fico sem Sexo?
Sexo!
Me dá Sexo! Me dá Sexo!
Eu quero Sexo!

Sexo! Eu quero Sexo!
Como é que eu fico sem Sexo?
Me dá Sexo! Me dá Sexo!
Eu quero Sexo!
Como é que eu fico sem Sexo?
Sexo!

Sexo! Eu quero Sexo!
Como é que eu fico sem Sexo?
Vem cá Sexo! Senta Sexo!
Vem cá Sexo! Me dá Sexo!
Solta Sexo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário